Skip to content

Apropriação ética de roupas masculinas

3 de July de 2011

Anos 80: a mulher de Yves Saint-Laurent usava smoking e fumava cigarros finos. Assimilação de moda masculina como forma de obter poder.

 LEIA ESTE POST NO NOVO MODA ÉTICA:

http://modaetica.com.br/?p=2401

Ontem, sábado, fiquei conversando durante apenas sete horas com um rapaz muito gentil e de certo charme outsider. Acho que se eu não estivesse sentindo a consequência (sono, fraqueza, low bat) de uma semana sem ter almoçado um dia, dormido quase nada e estudado até o limite da existência, teria ficado conversando até o amanhecer.

Chemisier, camisa-vestido, vestido-camisa, chemise, é sexy e elegante uma camisa masculina acinturada.

Acordei há instantes e me dei conta de que usava o agasalho dele – que pra mim virou um vestido de mangas longas, risos. E aí fiquei pensando num comportamento que nós, gênero feminino, temos em relação a vestir uma roupa masculina.

1978: desfile de alta-costura de YSL.


Por que gostamos de usar roupas masculinas?

  1. nos anos 80, usar terno (com ombreiras, que simulavam ombros de homens) era uma forma de competir profissionalmente. Obter poder por meio das roupas e hábitos masculinos. Ou seja, a roupa funcionava como uma fantasia, para uma mulher passar a imagem de homem;
  2. é sexy vestir camisas masculinas largas, acinturando-as, dando um ar de chemisier feminina;
  3. é despretensioso vestir calças masculinas largas;
  4. é confortável vestir t-shirts e agasalhos de malha. Geralmente, mais largos, ficam com comprimento de vestidos para nós, e dá uma sensação de ser envolvida pelo homem.

    Estilo boyfriend: as calças boyfriend conferem descontração ao look.

Por que gostamos de usar as roupas do cara que gostamos?

  1. resposta óbvia: estar em contato com ele. Roupas são o objeto que está diretamente em contato com nosso corpo e, com o uso, adquirem nossas características como, cheiro e forma do corpo.
  2. resposta difícil de admitir: bem, é uma maneira de nós, mulheres, demarcarmos território. Extender o uso da roupa do dono para a dona do dono da roupa, risos. É triste, mas é verdade. Fazer o que?
  3. no caso de vestir – momentaneamente – as peças íntimas (=cuecas) é uma demonstração de carinho nossa, um reconhecimento/agradecimento por uma boa noite de amor, etc.

Questão ética: o que fazer com o agasalho do rapaz?

Agasalho de um rapaz-elogios: que função e significado devo dar a roupa dele além da função que sua roupa me dá (de proteger do frio)?

  1. devolver lavado e passado?    (= demonstrar cuidado por um objeto dele, = respeito pela identidade dele)
  2. devolver usado? (= demarcar território)
  3. não devolver tão cedo? (=garantir que ele terá de vir até mim resgatar uma parte sua, risos)
  4. não devolver? (= poxa, é um moletom importado, de boa qualidade, é só diminuir o comprimento das mangas, cortar aqui, costurar ali e… ehehe)

Epa!, mas eis que acabo de botar as mãos no bolso canguru do agasalho e acho um cigarro de palha! É, bem, nesse caso, não restam dúvidas: vou devolvê-lo devidamente lavado e passado.😉

Estilo tomboy: a androginia – ser menino ou menina? – não é só uma tendência de moda. É um direcionamento de comportamento mundial. Há certas pesquisas que apontam, no futuro, coleções unissex – o que seria o supra-sumo de respeito da roupa pela sexualidade de quem a veste.


Moral da história

A forma ética de usar as roupas de um homem, principalmente as do homem que gostamos, é respeitar a identidade dele e sem exercer relações de poder. E, claro, como deve ser em cada gesto na vida, demonstrando o nosso cuidado e amor pelo próximo. 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: